Fap Fap Fap

8 comentários | Este artigo foi escrito em 06 abr 2011

FAP! FAP! FAP!

Aê! Terceira semana seguida com a tirinha publicada na 4ª feira! Tô começando a achar que vai dar pra manter a periodicidade! =D

Dicionário NERD

FAP! FAP! FAP!: É uma onomatopéia usada quando se está cortando legumes, ou virando as páginas de um livro.



NOOOT! Na verdade, essa é uma onomatopéia usada quando se está… ahem…  masturbando. Alguns exemplos de uso em uma frase: “Cara, esse vídeo é da hora… vai começar uma sessão de fap aqui.” ou “Nunca fapeie enquanto seus pais estiverem acordados em casa. Você pode ter uma surpresa.”

Problem?: O famoso Trollface! (Também conhecido como Coolface.) Chamamos de troll aquelas pessoas que fazem comentários em fóruns e blogs com o único intuito de causar polêmica e provocar os outros usuários. “Não alimentem os trolls.” é uma frase muito conhecida, usada para pedir para que os usuários não dêem atenção ao indivíduo que está fazendo algazarra nos comentários das postagens.

A imagem do Trollface surgiu em 19 de setembro de 2008 numa tirinha feita em MSPaint por um usuário do DeviantArt chamado Whynne, onde ele ilustrou como é inútil trollar o /v/ (um fórum de imagens exclusivo para discussões sobre video game do 4chan – que é o maior fórum de imagens em inglês). A tirinha original dele você confere aqui em baixo:

Trollface - Origem

Whynne escreveu em seu post que ele estava tentando desenhar o rosto de um personagem chamado “Rape Rodent”:

Rape Rodent

E desde então, o rosto do Trollface foi recortado e usado em inúmeras situações pela internet, sempre que alguém está trollando (pregando uma peça, sacaneando) outra pessoa.

Trollface - Problem?

Zangief Kid

9 comentários | Este artigo foi escrito em 30 mar 2011

Zangief Kid

Taí a segunda tirinha online do blog! Vamos ver se eu consigo atualizar esta seção todas as quartas feiras!

Dicionário NERD

Zangief Kid: É o apelido dado a Casey Heynes, um estudante de 16 anos que aparece em um vídeo sofrendo bullying de um colega chamado Ritchard Sk Gale. Casey, que passa metade do vídeo apanhando de Ritchard, resolve revidar e o faz em grande estilo! Praticamente aplicou o golpe característico do lutador Zangief do jogo Street Fighter: o famoso pilão giratório. Não demorou para aparecer inúmeras variações do vídeo, com músicas temas do jogo, montagens com barras de energia e tudo o mais. Confira o vídeo original abaixo:

Metsu…: Gouki (ou Akuma, na versão americana do jogo) é um personagem de Street Fighter. Treinou com Gouken, o mesmo mestre dos lutadores Ryu e Ken. O golpe que está sendo aplicado na tirinha pela Marina é o Shun Goku Satsu (Raging Demon), que você confere aqui em baixo:

Shun Goku Satsu

Happy DiCaprio e Sad Keanu

2 comentários | Este artigo foi escrito em 25 mar 2011

Happy DiCaprio e Sad Keanu

Yay! Após muito tempo e pedidos calorosos de amigos e companheiros de trabalho, eis que resolvo ressuscitar as tirinhas do Tosko! E de quebra, vou aproveitar os ganchos para comentar sobre os assuntos abordados nos 4 quadrinhos. XD Apresento-lhes o:

Dicionário NERD

Tirinhas: não é a primeira vez que desenho esses personagens. A bruxinha vermelha se chama Marina, a de roupa verde é uma menina-gato ciborgue (!!) chamada Celeste e o boneco amarelo é meu alter ego chamado Tosko. As aventuras anteriores deles você pode conferir aqui e aqui.

Meme: Um meme da internet é um conceito que se espalha através da grande rede mundial. Pode ser uma piada, uma montagem engraçada com fotos, vídeos, enfim, qualquer informação passada adiante pela rede e que pode evoluir através de contribuições dos próprios internautas. O Happy DiCaprio citado na tirinha é um exemplo de meme da internet.

Happy DiCaprio: este meme começou a partir de uma foto tirada de Leonardo DiCaprio no set de filmagens do filme A Origem, em 2010. A imagem mostra o ator andando (saltitando?) feliz da vida. Não demorou muito para que inúmeras montagens pipocassem na internet colocando Leonardo em diversas situações hilárias.

Isso é tão triste…: o nome do meme é Sad Keanu. Um paparazzi tirou uma foto de Keanu Reeves comendo um sanduíche sentado num banco de praça. Nada de mais, certo? Seria assim se o ator não aparentasse tanta tristeza na imagem em questão e se as mentes criativas dos internautas tivessem deixado de produzir montagens e mais montagens para o nosso entretenimento. XD

Volkswagen Caminhões – Linha Delivery

3 comentários | Este artigo foi escrito em 22 mar 2011

Data de criação: junho de 2010.
Cliente: Volkswagen
Agência: Banco de Eventos
Técnicas utilizadas: Arte final digital e pintura no Photoshop.

Estas são artes que criei para uma ação de lançamento da linha Delivery dos caminhões da Volkswagen. O objetivo era criar uma série de ilustrações que pudessem ser recortadas e montadas ao gosto do cliente, brincando com o conceito dessa nova linha de utilitários.

Como se tornar um desenhista bem sucedido. Parte 4

19 comentários | Este artigo foi escrito em 21 mar 2011

Chegamos enfim ao quarto e último artigo desta série. Se você acompanhou todos eles até aqui, sabe que está faltando tratar de um último tópico:

Parte 4 – O que fazer com o dinheiro que você ganhou desenhando?

Para algumas pessoas, o aproveitamento do dinheiro ganho será mais difícil, principalmente se precisarem pagar contas em casa. Mas se você faz parte da parcela que está livre dessa obrigação, poderá aproveitar melhor o dinheiro para ganhar mais dinheiro.

Como assim?

Investindo parte do valor (ou todo ele) para melhorar o serviço que você presta. Isto pode ser feito de duas formas: aprimorando as suas técnicas ou melhorando os seus materiais – nesta ordem. Muita gente acha que comprar um material melhor é um atalho para desenhar melhor. E não é. Por exemplo: um desenhista imagina que um tablet (a mesa digitalizadora, não o gadget que a empresa da maçã popularizou de uns tempos para cá) é a solução para que a pintura dos seus desenhos melhore. Ele faz um grande esforço, poupa o dinheiro e compra o tal acessório. E para a sua surpresa, apesar do tablet permitir que ele pinte o desenho com mais facilidade do que quando o fazia com o mouse, a pintura em si não mudou muita coisa. O que está de errado neste caso? Ele não tinha conhecimento prévio de luz e sombra e teoria das cores, portanto a aquisição de um material melhor não resultou em um salto na qualidade da sua produção. Agora, imaginemos o oposto: o artista tem conhecimento de luz e sombra e teoria das cores, só que pinta com ajuda do mouse. A compra de um tablet para ele faz todo o sentido.

É um processo natural: conforme você melhora as suas técnicas, você sente que as ferramentas que está usando no momento não lhe permitem explorar todo o seu potencial. Você vai sentir necessidade de comprar papéis especiais para desenho / pintura, um nanquim menos aguado, tintas de marcas mais renomadas, e por aí vai.

E para aperfeiçoar as suas técnicas, nada melhor do que fazer cursos especializados. Técnicas de arte-final, luz e sombra, pintura analógica ou digital, anatomia, enfim, qualquer informação que você julgue importante no ramo que você está atuando. Novamente é interessante você ter um foco: direcionar os cursos para melhorar os serviços que você está prestando atualmente. Está trabalhando com caricaturas? Um curso de produção de retratos pode ser bem útil para você. Produzindo história em quadrinhos? Que tal aprender truques novos de arte-final ou anatomia? E se permitem que eu faça uma pequena propaganda aqui… aos que moram em São Paulo e se interessam na arte do mangá, chequem o site da AreaE. Ou se você morar em Porto Alegre, talvez queira conhecer o Dinamo Studio. (Pronto, acabou a propaganda. XD)

Lembra-se da primeira parte desta série de artigos? Quando foi comentado que é possível vender os serviços de desenhista possuindo qualquer nível de habilidade? Pois então. “Aperfeiçoar a técnica – investir em material – aperfeiçoar a técnica – investir em material…” Depois de repetir esse ciclo uma ou duas vezes, você notará que as suas habilidades estarão melhores do que há um tempo atrás. Talvez você até esteja com um pouco mais de confiança do que quando começou esta empreitada. Pode ser que agora você consiga produzir o mascote da nova campanha que uma agência está bolando para aquele produto super famoso. E mesmo que você continue atuando na mesma área, você poderá cobrar um valor diferenciado pelos seus serviços, justamente por causa das técnicas que adquiriu: é um diferencial que a concorrência não terá. Isso o levará a um novo patamar de ganhos e consequentemente ficará mais fácil investir valores para fazer cursos e comprar materiais.

Em um determinado momento, pensamentos como esses passarão pela sua cabeça: “Nossa… eu demorei tanto pra poupar o dinheiro pra comprar o meu tablet lá no começo… hoje eu conseguiria comprar à vista.” ou “Puxa, eu admirava tanto a ilustração daquele artista há um tempo atrás… hoje eu consigo produzir algo parecido sem problemas.” Isso é sinal de que você está no caminho certo. Chegando neste ponto, tendo consciência do seu feito ou não, você está se tornando um desenhista bem sucedido.

A noção de sucesso é relativa, cada um tem a sua: para alguns, é atingir o estrelato e ficar muito famoso, para outros, é conseguir ganhar o suficiente para manter uma família. Mas se você está tendo referências concretas do seu crescimento profissional como foi citado no parágrafo anterior, o próximo passo é apenas definir o quão longe você irá e o quanto você se cobrará para que essa meta seja atingida – é decidir quantas vezes e com que intensidade você repetirá o ciclo “Aperfeiçoar a técnica – investir em material”.

Como deixei claro no início da série, viver de desenho não é fácil. Desenhista é uma profissão muitas vezes vista com certo preconceito pela sociedade. O mercado não está bem desenvolvido, existe muita concorrência e se você trabalhar como autônomo, não há garantia de estabilidade nos rendimentos. Mas todo desenhista desenha porque gosta do que faz. E não existe coisa melhor do que trabalhar com o que gostamos.

Espero que com esta série de artigos muitos aspirantes a desenhista encontrem um meio de levar seus projetos adiante.

Boa sorte a todos!

Parte 1 | Parte 2 | Parte 3 | Parte 4